Alberto Carlos Corrêa Paes d'Assumpção1,2

M, #133, n. 3 Setembro 1942, f. 24 Janeiro 2015
Alberto Carlos d'Assumpção
Collection ACP d'Assumpção

Eventos Principais Main Events::

Nascimento: 3 Setembro 1942, Macau3
Falecimento: 24 Janeiro 2015, Resende, BrasilBrazil4,5
 


 

Outros detalhes Other details:

  • Alcunha: "Acaio."3
  • Nascimento*: Em 3 Setembro 1942 Macau.3
  • Ocupação*: Karate instructor of the Academy 'Sei Ko Kan'. Cultural director of the Casa de Macau in Rio de Janeiro.
  • Endereço*: Em 1996 em Rua A, 8, Montese II, Resende, BrasilBrazil.3
  • Foto1*: Acaio, Vera and Sabrina d'Assumpcao.
    Sabrina, Acaio and Vera d'Assumpção
    Collection Alberto Carlos d'Assumpção
  • Foto1: Acaio and Vera d'Assumpcao.
    Acaio and Vera d'Assumpção
    Collection Alberto Carlos d'Assumpção
  • Falecimento*: 24 Janeiro 2015 Resende, BrasilBrazil, 72.4,5
  • Nota*:

     

         

              

    HOMENAGEM PÓSTUMA A ALBERTO CARLOS PAES D'ASSUMPÇÃO


              

    Jorge A. H. RANGEL 9/2/2015


              Alberto Carlos Corrêa Paes d'Assumpção, ex-presidente da Casa de Macau do Rio de Janeiro, deixou definitivamente, na madrugada de 24 de Janeiro, o convívio da família e dos amigos, após complicações pós-operatórias que surgiram na sequência de uma intervenção cirúrgica que, pelo menos aparentemente, até terá corrido bem. Faria 73 anos de idade em Setembro e era já o último dos irmãos Paes d'Assumpção (Carlos, Merlinde, António, Teresa, José Carlos, Mário, Lídia e Alberto Carlos).
              Companheiro em muitas lides nos anos de adolescência em Macau, foi um dos meus melhores amigos de sempre, não obstante a enorme distância que se instalou entre nós quando ele emigrou para o Brasil e eu fui continuar os estudos em Lisboa. Foi a sua personalidade irreverente e destemida que o fez abraçar iniciativas que requeriam audácia e determinação e o impeliu para longes terras, em busca de um futuro melhor que, tal como tantos outros macaenses, ele quis com o seu próprio esforço construir. Sempre me tratou como irmão mais novo, o que me foi agora de novo salientado pela família quando dela recebi a triste notícia.
              

    Depoimentos recebidos

              
              Para a preparação desta singela homenagem, pedi a vários ex-presidentes da Casa de Macau daquela cidade brasileira, vários deles meus amigos dos tempos despreocupados da infância e da juventude, bem como a alguns familiares e ao presidente da Casa de Macau de São Paulo, breves depoimentos sobre o Alberto Carlos, que ficou entre todos nós mais conhecido por Acaio. Posso resumi-los do seguinte modo:
              Francisco Xavier Rodrigues recordou a relação de amizade que existiu entre eles desde a infância e que continuou pelos anos de juventude e na vida adulta, bem como os desentendimentos que tiveram, a par dos bons momentos vividos na Casa de Macau, de que "restam apenas saudades". Também realçou a sua inteligência.
              José Augusto Pina e Pedro Almeida destacaram os dotes culinários de Acaio no que respeita a pratos tradicionais macaenses que preparou para as festas da Casa de Macau e pelos conhecimentos que partilhou com outros, bem como os esforços por ele desenvolvidos junto de autoridades de Macau para que a Casa tivesse sede própria, o que mereceu total apoio do Governador Rocha Vieira.
              Augusto Carion, por seu lado, frisou que "Acaio não foi Santo mas o tempo fez dele um grande ser humano", tendo sido seu mestre no karaté e amigo desde criança. Também referiu a grande capacidade do Acaio como cozinheiro e a sua contribuição para a Casa de Macau, como associado e presidente.
              De Gilberto Quevedo da Silva, presidente da Casa de Macau de São Paulo e grande impulsionador da criação e do desenvolvimento deste organismo recreativo-cultural macaense, a que soube juntar uma componente social útil, recebi este contributo mais abrangente e elaborado:
              Acaio vinha bastante à cidade de São Paulo, e visitava também a Casa de Macau em São Paulo, porque uma das suas filhas residia na cidade. Nessas suas vindas e visitas, sempre demonstrou o seu espírito fraternal e de solidariedade com os macaenses.
              Sabedores de que ele era um "mestre" massagista-terapeuta especializado nas curas de doenças da coluna, e como a maioria das pessoas sofria deste mal, pedimos-lhe muitas vezes que nas suas visitas à Casa de Macau de São Paulo oferecesse aquelas consultas e por vezes tratamento para atenuar o sofrimento de alguns de nossos associados. Sempre muito solícito, em suas oportunas visitas à Casa de Macau, ele não negava ajuda, e sempre se preocupou com os nossos associados. Alguns casos mais graves foram, por nós, encaminhados para a sua clínica em Resende. Além de tratar dessas pessoas, é importante ressaltar que, sem nenhum custo, ainda disponibilizava sua casa para acomodá-los.
              Além do seu conhecimento técnico nessa área de saúde, também era um especialista em gastronomia. Chegou a deslocar-se de Resende a São Paulo para uma demonstração de uma de suas especialidades no nosso Curso de Gastronomia. E numa ocasião, cozinhou só com a ajuda da Vera uma das suas especialidades: "Diabo". Trouxe tudo de Resende, gratuitamente, de presente, os ingredientes e os condimentos necessários para o preparo do referido prato típico macaense, servindo mais de cem associados 'paulistas'.
              Da filha Silvana Assumpção e da neta Iana Assumpção, que preside agora à Casa do Rio de Janeiro, chegaram-me estes muito tocantes testemunhos:
              O maior ensinamento do meu pai foi que eu tivesse força para lutar em todas as situações da vida, mas nunca deixando de ter humildade, honestidade e respeito, além do amor pela família e pelo próximo. Como pessoa e profissional ele era simplesmente incrível! Me sinto orgulhosa por ter tido a oportunidade de aprender tantas coisas com ele, principalmente curar as pessoas e cozinhar a gastronomia macaense.
              Ele foi uma pessoa extremamente inteligente, visionária e humana, que curou várias pessoas. Como avô, me ensinou a amar Macau e a ser uma pessoa correta, que realizasse com perfeição tudo o que eu me propusesse a fazer. E foi assim que ele se tornou um Presidente correto e que, por amar tanto sua terra natal, promoveu durante todo o seu mandato o máximo possível da cultura macaense aos sócios, assim como sempre fez em casa.
              Da esposa Vera, com quem falei longamente ao telefone, na manhã do falecimento, recolhi a expressão da dor que a atingiu e que é por todos os familiares e amigos partilhada. Por ela soube da vontade do Acaio de ter as cinzas depositadas, logo que possível, no espaço tumular da família em Macau.
              Leia mais
         
              
         

              

    POSTHUMOUS TRIBUTE TO ALBERTO CARLOS PAES D'ASSUMPÇÃO

         
              

    Jorge A. H. RANGEL9/2/2015


              Alberto Carlos Corrêa Paes d'Assumpção, former president of the Casa de Macau of Rio de Janeiro, departed finally, in the early hours of 24 January, from the conviviality of family and friends, after post-operative complications from surgery that had appeared to have gone well. He would have been 73 years old in September and was the last of the siblings Paes d'Assumpcao (Carlos, Merlinde, António, Teresa, José Carlos, Mário, Lídiae Alberto Carlos).
              Companion in many activities in teenage years in Macau, he was one of my best friends ever, despite the huge gap that has developed between us when he emigrated to Brazil and I went to continue my studies in Lisbon. It was his irreverent and fearless personality that made him undertake initiatives that required audacity and determination and drove him, like so many other Macanese, to distant lands in search of a better future that he wanted to build with his own effort. he always treated me like younger brother, so I was now again distressed for the family when I received the sad news.
              

    Testimonials received


              For the preparation of this homage, I asked several former Presidents of the Casa de Macau of that Brazilian city, many of them my friends from carefree days of childhood and youth, as well as some family members and the President of the Macau Casa de São Paulo, for brief testimonials about Carlos Alberto, who was among us all best known as Acaio. I can summarize them as follows:
              Francisco Xavier Rodrigues recalled the friendly relations that existed between them since childhood and continued through the years of youth and adulthood, as well as the disagreements that they had, along with the lively good times, in Casa de Macau , that "remain only in nostalgic memories". He also emphasised his intelligence.
              José Augusto Pina and Pedro Almeida highlighted the culinary skills of Acaio on traditional Macanese dishes he prepared for the feasts of the Casa de Macau and the knowledge he shared with others, as well as the efforts he made with the Macao authorities for the Casa to have its own headquarters, which deserved full support of Governor Rocha Vieira.
              Augusto Carion, in turn, stressed that "Acaio was no saint but time made him a great human being" and having been his master in karate and friend since childhood. He also referred to the great ability of Acaio as a cook and his contribution to the Casa de Macau, as a member and president.
              From Gilberto Quevedo da Silva, president of Casa de Macau São Paulo and the driving force behind the creation and development of this recreational-cultural Macanese organisation, who found out how to assemble a useful social component, I received this longer and more elaborate contribution:
              Acaio came often to the city of São Paulo, and also visited the Casa de Macau in São Paulo, because one of his daughters lived in the city. In his visits, he always demonstrated his fraternal spirit and his solidarity with the Macanese.
              Knowing that he was a 'master' massage therapist specializing in curing spinal illnesses which many people suffer from, we asked him many times during his visits to Casa de Macau São Paulo to provide consultation and sometimes treatment to alleviate the suffering of some of our members. Always very obliging, in his visits to the Casa de Macau he never denied help, and was always concerned about our members. Some more serious cases were referred to his clinic in Resende. It is important to stress that, in addition to treating these people at no cost, he offeared his home to accommodate them.
              In addition to his expertise in this area of health, he was also an expert in gastronomy. I managed to get him to come from Resende to São Paulo for a demonstration of one of his specialties in our Gastronomy Course. And on one occasion, he cooked, with only Vera to help, one of his specialties: 'Diabo'. He brought from Resende, for free, all the ingredients and condiments needed for the preparation of that typical Macanese dish, serving more than one hundred São Paulo members.
              From his aughter Silvana Assumpção, who now chairs the Casa de Macau of Rio de Janeiro, and granddaughter Iana Assumpção, I received these very moving testimonials:
              The greatest lesson from my father was that I should have the strength to fight in all situations of life, but never losing humility, honesty and respect, in addition to the love of family and neighbor. Personally and professionally he was simply amazing! I am proud to have had the opportunity to learn so many things from him, mainly how to heal people and to cook Macanese food.
              He was an extremely intelligent, visionary and humane person who healed many people. As a grandfather, he taught me to love Macau and to be a principled person to carry out perfectly all I propose me to do. And it was thus that he became a upright President and who, for love of his birthplace, promoted, throughout his tenure, as much as possible of Macanese culture to members, as he always had at home.
              From his wife Vera, who spoke at length on the phone on the morning of his death, I gained the extent of the her pain, which all his family and friends shared. For she knew Acaio's wish to have his ashes deposited as soon as possible in the family tomb in Macau.
              See more.
         
         
         
 

Citações

  1. [S4] Famílias Macaenses 1st ed., I-300.
  2. [S642] Jorge Forjaz, Famílias Macaenses 2nd ed., I-363.
  3. [S4] Famílias Macaenses 1st ed.
  4. [S327] João Ernesto Luiz #1865, "Luiz, João Ernesto email," e-mail to HA d'Assumpcao.
  5. [S277] UMA Bulletins, Notices, Vol. 55 No. 2.
 
 
 
 
 

Henrique Alberto dos Anjos de Figueiredo1,2

M, #143, n. 2 Outubro 1901, f. 14 Janeiro 1947
Henri Figueiredo
SourceCollection Helena de Figueiredo

Eventos Principais Main Events::

Nascimento: 2 Outubro 1901, Cathedral, Hong Kong
Casamento: 12 Novembro 1933, Amália Maria de Senna Fernandes d'Assumpção d'Assumpção's Henri and Amalia wedding3,4
Wedding Henrique Alberto dos Anjos de Figueiredo and Amalia Maria de Senna Fernandes d'Assumpção
Collection Helena de Figueiredo
Falecimento: 14 Janeiro 1947, St. Paul's Hospital, Hong Kong
 

Familia:

Amália Maria de Senna Fernandes d'Assumpção n. 19 Jul 1900, f. 29 Jun 1985

Crianças:


 

Outros detalhes Other details:

  • Alcunha: "Henri."
  • Nascimento*: Em 2 Outubro 1901 Cathedral, Hong Kong.
  • Casamento*: Amália Maria de Senna Fernandes d'Assumpção em 12 Novembro 1933; Henri and Amalia wedding.3,4
    Wedding Henrique Alberto dos Anjos de Figueiredo and Amalia Maria de Senna Fernandes d'Assumpção
    Collection Helena de Figueiredo
  • Foto1: Henri and Helena.
    Henri and Helena de Figueiredo
    SourceCollection Helena de Figueiredo
  • Ocupação*: China Underwriters.5
  • Falecimento*: 14 Janeiro 1947 St. Paul's Hospital, Hong Kong, 45.
 

Citações

  1. [S4] Famílias Macaenses 1st ed., I-1101.
  2. [S642] Jorge Forjaz, Famílias Macaenses 2nd ed., I-355, II-557.
  3. [S4] Famílias Macaenses 1st ed.
  4. [S34] Interview, Assumpcao HA #1, Oral from Helena de Figueiredo.
  5. [S136] Helena de Figueiredo #3260, "Helena de Figueiredo," e-mail to HA d'Assumpcao.